Atol das Rocas e Fernando de Noronha pautam trabalho escolar em Uruguaiana, no RS

Inspiração veio do programa Globo Repórter, exibido pela TV Globo


Foto: Alguém

O programa Globo Repórter, veiculado no dia 1 de abril, mostrou a biodiversidade do arquipélago de Fernando de Noronha e foi pauta de um trabalho escolar no município de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul.


A ideia veio da professora de Ciências Gisele Ribeiro, de 41 anos, ao assistir o programa na TV. “Logo quando eu vi a propaganda do programa pensei em levar este tema para a sala de aula porque nenhum dos alunos e eu não conhecemos o lugar. Foi uma forma de sabermos mais sobre”, explica.


Dentre as áreas e temas explorados estão o Atol das Rocas — um dos lugares mais isolados do planeta (único do atlântico sul) —, que abriga a ilha do cemitério (um berçário de aves) e Noronha, com destaque para a ilha do meio e para a pesquisa realizada sobre o peixe-leão, que ameaça o equilíbrio da vida marinha.


Os alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Iris Valls tiveram uma semana para assistir o programa e desenvolver os trabalhos, que envolviam desenhos e textos. No dia da entrega eles conversaram com a professora e demonstraram grande empolgação pelo conteúdo estudado. “ A grande curiosidade foi em relação ao peixe-leão que é tão bonito e, ao mesmo tempo, muito venenoso. E também sobre o vulcão do Atol das Rocas, a Ilha do Farol e a Ilha do Cemitério, porque quando a maré baixa há a divisão delas”, detalha a professora.


O trabalho consistiu em assistir à reportagem, fazer uma redação sobre o tema e elaborar um desenho sobre o que mais chamou a atenção. “A minha felicidade foi imensa quando recebi os trabalhos bem elaborados, todos coloridos. Pensei em agradecer a vocês pelo programa e parabenizar toda a equipe pelas explicações precisas de Noronha Que a mensagem fique clara: precisamos preservar e cuidar do que é nosso.”, completa.